20 de jul de 2010

Como ser feliz em meio às dificuldades?

Quem já não se deparou em algum momento da vida com essa indagação que perpassa a alma? Momentos em que a dor que a tristeza traz consome o pensamento, a ponto de não existir solução alguma para a situação "aparentemente" sendo válida a expressão "cada um sabe onde o sapato aperta". O diferencial então recai na maneira como, mediante os confrontos da fragilidade humana diária, se lida com as circunstâncias adversas tirando delas uma fagulha de esperança.Ser feliz? A noção de felicidade quase sempre está sendo relacionada a status social, visto no sucesso, bens materiais, aquilo que pode advir da fama aos olhos desse século e que se desmorona no teor da primeira faísca de que algo não anda bem. Como em meio a turbulenta e tempestuosa onda de dor que assalta o coração, não apenas estar feliz mas ser feliz? Para alguns a transitoriedade dessas coisas efêmeras é tão intensa que enxergar uma saída é absolutamente impossível. Perdas, angústias, dores, aparecem como densa nuvem sombria que se finca na alma e que parece não ter fim. Só há uma luz, um único motivo que impera a existência humana e arranca de dentro do âmago humano o eco de esperança- Essa luz, esse motivo é um ser pessoal, que se importa com cada lágrima vertida, cada clamor feito, que faz toda uma diferença nas lutas e nos seus enfrentamentos - Jesus, o Deus Conosco-Emanuel, que torna o "estou" em "sou" feliz, que faz jorrar rios de água viva do interior, nada mais torna-se tão importante, pois ser feliz é tê-lo como único e suficiente Salvador, é tê-lo como piloto de nosso navio da vida, mesmo em meio as lutas. É Ele quem consolará o coração aflito até a consumação dos séculos ( Mt 28:20); Que demonstra que a ansiedade em tudo é vã (Mt 6:25-30) e o que vai trazer felicidade perene ao coração humano é buscá-lo em todos os caminhos (Mt 6:33) mesmo passando por diversas provações, pois Ele venceu o mundo (Jo 16:33) e há poder, misericórdia e graça em seu nome para uma vida feliz e plena em todos os seus aspectos.
Raquel Bezerra

Nenhum comentário:

Postar um comentário